Portal Open
Doutor W
 
  » Revista > Perfil    
 
 
Mais do que um Ortodontista

Dr. Durvaltercio Bonfim

Ortodontista Brasileiro - Uma Lição De Vida

"...quando você admira, os heróis de cada dia, quando vibra de alegria, com os que fazem o bem. Quando aplaude os grandes gestos dos ricos e dos modestos pelo valor que eles tem..." Lauro Trevisan

Ele nasceu menino pobre, no dia 23 de Outubro de 1923, no centro velho de Salvador. Nascer em Salvador é antes de tudo um estado de espírito. Existe música no ar e a presença envolvente do mar tão próximo parece dizer às pessoas que o mundo é grande e bom, e seu centro fica exatamente na Bahia. Perdeu o pai muito cedo e sua família era extremamente pobre. Menino ainda, juntou-se ao exército anônimo dos "capitães da areia", garotos que trabalhavam nas ruas e docas do porto de Salvador. Era ajudante de camelô. Porém, seu coração valente pulsava forte e aquele permanente sorriso franco mal disfarçava a certeza de que seus caminhos na vida um dia o levariam a um grande destino. Pelo menos uma certeza ele tinha – não ia ser fácil. Mesmo sem condições materiais, precisava estudar. Lançou-se a todos os serviços humildes necessários para ajudar no sustento da família e garantir a escola.

Já adolescente, quando teve sua primeira oportunidade de fazer um tratamento dentário, encantou-se com o dentista e sua profissão e, do mesmo modo que fez quase tudo na vida, agiu rápido. Lançou-se de corpo e alma na direção do Curso de Odontologia e, depois de muita luta, formou-se em 1946 na gloriosa Faculdade de Odontologia da Bahia. Decidiu ir para o interior, para a pequenina cidade de Mairi. Com seu motor de pedal e seu eterno sorriso, em pouco tempo sua clientela cresceu e ele tornou-se uma personalidade no modesto município. Ficou seis anos – organizou o clube local e um belo dia decidiu que precisava abrir novos horizontes. Na despedida ganhou discursos, um relógio Mido e o carinho de grandes amigos. Foi para Itapetinga e lá começou tudo de novo. Casou-se com uma colega, a Dra. Maria Zilda, e trabalharam juntos durante sete anos, ganhando o respeito e a amizade de todos. Sempre pensando grande, resolveram tentar a cidade maior – Salvador. Porém, sua passagem por Itapetinga foi tão marcante pelos serviços prestados à comunidade, que esta deu seu nome a uma rua da cidade. O tempo passava e sua clínica em Salvador fluía bem. Lá nasceram seus filhos, Cláudio, Marília e Marcos. Influenciado por um de seus grandes amigos, o Dr. Elias Ferreira de Freitas, considerado o pioneiro da Ortodontia na Bahia, que influenciou toda uma geração de Ortodontistas, no final da década de 60, já então com 44 anos, o Dr. Durvaltercio Bonfim decidiu lançar-se à maior aventura de sua vida – tornar-se Ortodontista.

Como homem de ação que sempre foi, agiu rápido. Vendeu tudo o que tinha e mudou-se com toda a família para Piracicaba, no Estado de São Paulo, para seguir o Curso de Pós-graduação, a nível de Mestrado, sob a direção do saudoso Professor Miller de Araújo.

Os tempos difíceis voltaram em Piracicaba. Alugaram uma pequena casa, plantaram uma horta no quintal, e toda a família trabalhava para custear seus estudos e a própria sobrevivência, a medida que as reservas iam se acabando. Ao final de dois anos, completou o curso com louvor e voltaram para Salvador, estabelecendo-se como Ortodontista. Sua iniciativa de buscar especialização foi pioneira na Bahia – abriu caminho para muitos outros.

Quarenta e nove anos depois de formado, o ilustre colega já participou em mais de 100 cursos de aperfeiçoamento, cerca de 40 congressos e ministrou aulas de Ortodontia. Em 1975 seguiu para os EUA e freqüentou o famoso Seminário de Atualização em Ortodontia da TWEED FOUNDATION em Tucson, Arizona. No seu curriculum constam também duas gestões consecutivas na Diretoria da ABO da Bahia. Na Academia Bahiana de Odontologia, o Dr. Durvaltercio ocupa a cadeira n° 21, cujo Patrono é o Professor José Paulo de Moraes. Atualmente, conquistado pela Filosofia Bioprogressiva de Ricketts, ele freqüenta todas as aulas e ministra matérias básicas no Curso de Especialização em Ortodontia da ABO, como convidado de seu Coordenador, o Professor Nilton Leite dos Santos.

Dedicação a uma causa

Nosso colega homenageado caracteriza-se pela retidão de caráter, alegria, equilíbrio e solidariedade. Tocado pela sensibilidade e dono de um sentimento de gratidão ímpar, sempre procurou durante toda sua vida ajudar os outros. Já há muito tempo, recordando sua infância difícil, começou a questionar o tipo de vida miserável dos meninos de rua de sua querida Salvador. Sem resposta convincente, sua saída foi idealizar o movimento que ele chamou de "O MILAGRE DAS SOBRAS" – há mais de dois anos ele e toda sua família vêm realizando uma tarefa invulgar, já reportada algumas vezes pela Televisão e noticiada com louvores pela imprensa local.

A família, em sua própria casa, faz litros e mais litros de sopa e, duas vezes por semana eles saem pela madrugada, em seu próprio carro, pelas ruas e becos da cidade, distribuindo para as crianças carentes, os que não têm teto. Atualmente já produzem e distribuem 300 litros de sopa a cada vez. A maioria dos ingredientes eles obtêm gratuitamente de sobras de supermercados, restaurantes e padarias. Sua criatividade mais uma vez faz dele um exemplo: para melhorar a qualidade e o sabor da sopa, os açougues cedem "por empréstimo" os ossos que sobram. Eles os levam para casa e removem, por um processo que desenvolveram, o que resta de carne. Os ossos são então devolvidos aos açougues que os industrializam. Cada 100 quilos de ossos rendem 20 quilos de carne. A sopa é distribuída em garrafas de plástico descartáveis doadas por bares e restaurantes. Sal e temperos geralmente compram e o pão é fornecido por uma padaria (sobras de estoque). Note-se que toda essa atividade exaustiva é elaborada por uma única família, Ortodontistas como nós, gente como a gente, que apenas quer fazer o bem, "pagar uma dívida – a felicidade que Deus nos deu...". Consta que já houve contato por parte da televisão para mostrar ao país seu trabalho como "Gente Que Faz".

Dr. Durvaltercio João do Bonfim, sua Esposa e seus filhos merecem nosso respeito e nossa admiração. Sensibilizada, a Sociedade Paulista de Ortodontia, por iniciativa de seu Presidente Doutor JAIRO CORRÊA, deverá homenageá-lo durante o ENCONTRO DE ORTODONTISTAS, a realizar-se em São Paulo em Outubro próximo. Ele é, sem dúvida, "GENTE QUE FAZ...".

Matéria escrita pelo Dr. José Eduardo Pires Mendes, colunista de Ortodontia e Ortopedia Facial, e originalmente publicada em julho/agosto de 1995 no “Ortodontia” nº38, periódico da Sociedade Paulista de Ortodontia.

 
Edições Anteriores

23/3/2011 - Doações de planos de saúde cresceram 760% em relação a 2002

15/12/2010 - Faculdade de Odontologia de Piracicaba: história e desafios

3/11/2010 - Periodontite pode afetar sistema cardiovascular, demonstra estudo

2/6/2010 - Anvisa: estratégias para segurança do paciente em hospitais e clínicas

3/3/2010 - Planos odontológicos, nem sempre a melhor opção

16/12/2009 - Curso profissionalizante na área odontológica é porta de entrada para o mercado de trabalho

7/10/2009 - Publicar e compartilhar

1/7/2009 - Nanobiotecnologia a serviço da saúde

29/10/2008 - Dentifrícios: de cosméticos a agentes preventivos

30/7/2008 - O brasileiro e as doenças crônicas não-transmissíveis

5/9/2007 - Um novo olhar da Odontologia

16/5/2007 - Neoplasias malignas tratadas no consultório

21/3/2007 - Um projeto para fazer o Brasil sorrir

13/12/2006 - As doenças do trabalho no meio odontológico

8/11/2006 - O uso de mini-implantes na Ortodontia

20/9/2006 - Hipersensibilidade dentinária

20/7/2006 - Fim das cáries?

26/4/2006 - Doação de sorrisos

8/3/2006 - Odontologia em Brasília
 
 
voltar  
 
@wwow.com.br
Copyright© 2005-2008
Todos os direitos reservados à Eyeshot

O que é isso?