Portal Open
Doutor W
 
  » Revista > Perfil    
 
 
Faculdade de Odontologia de Piracicaba: história e desafios

A Faculdade de Odontologia de Piracicaba foi inaugurada no dia 20 de janeiro de 1955, então como Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba. Em 1957, recebeu a autorização de funcionamento e foi reconhecida em 1961, sendo incorporada à Universidade Estadual de Campinas em 31/01/67, passando então a ser denominada Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP-Unicamp), já com cerca de 12 anos de história.

A FOP ocupou inicialmente um prédio no centro da cidade de Piracicaba, mas o crescimento das atividades tornou o espaço insuficiente e, na segunda metade da década de 1970, foi construído um novo prédio, maior e mais bem adaptado para as necessidades da época. É nesta área, de aproximadamente 60.000 m2 , que a escola ainda funciona, e na qual estão cerca de 20.000 m2 de área construída. Um novo prédio, com 3.000 m2, está em construção e deverá acomodar atividades clínicas e de atendimento da população de Piracicaba e região.

Por ser uma unidade separada do campus da Unicamp, a FOP possui grade curricular e estrutura acadêmica voltadas para a formação específica de cirurgiões dentistas, contando com áreas básicas, sociais, clínicas e de extensão. Ainda que possa ser interessante por um lado, já que os alunos recebem formação extensiva e aprofundada da odontologia, é certamente também uma desvantagem, já que o estudante perde a oportunidade de interagir num ambiente universitário mais amplo, com a presença de outros cursos e visões acadêmicas distintas.

Atualmente, a FOP conta com sete departamentos, nos quais estão lotados 76 docentes, sendo que 10 são MS-3 (doutores), 27 são MS-5 (professor associado) e 39 são MS-6 (titulares). Do total de docentes, 67 exercem suas funções em RDIDP e apenas nove atuam em RTC. A experiência internacional dos docentes também é alta, sendo que 25 deles realizaram pós-doutorado no exterior. Ademais, a FOP possui também 14 professores colaboradores e 55 pesquisadores colaboradores. No apoio e mantendo o bom funcionamento da instituição, atuam 145 servidores.

A FOP formou, ao longo de toda sua história, 3.207 cirurgiões dentistas. Atualmente, o curso de graduação possui 331 alunos, divididos em oito turmas semestrais. A FOP tem apresentado nos últimos anos a maior relação candidato/vaga no vestibular entre as faculdades de odontologia estaduais paulistas. Isso demonstra o respeito e reconhecimento da sociedade com a qualidade dos profissionais formados na instituição. Além disso, o curso de graduação tem sido regularmente agraciado com premiações de reconhecimento por sua excelência no ensino e pela qualificação de seu corpo docente. O último destes prêmios foi o do Guia do Estudante, publicado pela Editora Abril, ainda neste mês. A assistência à comunidade que a FOP presta com o curso de graduação é bastante significativa – são, em média, 35.000 atendimentos odontológicos realizados por semestre, envolvendo pacientes de Piracicaba e de cidades vizinhas.

A Pós-Graduação da FOP possui seis cursos strito sensu, mestrado e doutorado, e um curso de mestrado profissionalizante no qual estão matriculados atualmente 504 alunos vindos de praticamente todos os estados brasileiros e de outros países, principalmente da América do Sul. Todos os cursos são muito bem qualificados pela Capes, sendo quatro com conceito de excelência (um com conceito 7 e outros três cursos conceito 6), além de três cursos com conceito 5. Isto corresponde à maioria dos cursos de excelência em Odontologia do país. Hoje, em nível nacional, apenas outros dois programas têm conceitos 6, e o único conceito 7 está na FOP. Este quadro positivo na Pós-Graduação tem se mantido na última década.

A FOP oferece cursos de especialização e extensão/atualização em praticamente todas as especialidades da Odontologia. Esses cursos permitem a qualificação de alto nível para cirurgiões dentistas. Atualmente, são 105 alunos de especialização e 75 de extensão/atualização. Além de se especializarem, esses profissionais realizam um importante trabalho na prestação de serviço da Faculdade, atendendo elevado número de pacientes em tratamento odontológico de alta complexidade, não oferecidos pelas outras parcelas do serviço de saúde pública do Estado.

A FOP ainda desenvolve programas odontológicos direcionados à comunidade, tais como o Escovódromo (voltado para motivação de crianças para saúde bucal); atendimento especializado a gestantes e crianças recém-nascidas (Cepae); atendimento especializado para diagnóstico e tratamento de doenças bucais e pacientes com necessidades especiais (Orocentro); atendimento especializado para cirurgias de alta complexidade; e implantes odontológicos e projetos especiais para escolares da rede pública (Sempre Sorrindo e Programa de Educação em Saúde Bucal). Estes e outros programas têm como objetivo melhorar a condição bucal da comunidade, aumentando sua auto-estima e qualidade de vida. Todas essas atividades e o desempenho certificado pelas agências avaliadoras justificam o respeito de que a FOP desfruta nacional e internacionalmente.

A nova diretoria que assumiu a FOP neste mês de setembro possui inúmeros desafios pela frente, o que é um reflexo do elevado nível de atividades desenvolvido pela instituição desde sua fundação, cuja complexidade acentuou-se a partir da década de 1990 e foi mantida até os dias de hoje. Neste período, houve aceleração do crescimento dos programas de Pós-Graduação, especialmente no número de alunos, assim como na complexidade e no custo das metodologias de pesquisa, bem como dos procedimentos clínicos desempenhados durante o tratamento de pacientes.

Intensificaram-se também a participação da instituição no atendimento de saúde da população e a interação com outras áreas da Unicamp e com os setores públicos de Piracicaba nos aspectos da saúde e educacionais. Todo este aumento de demanda, de complexidade e de custos, não foi acompanhado pelo incremento nos recursos humanos ou nas finanças. Novas especialidades e procedimentos não foram representados nas áreas didáticas e nos departamentos, sendo incorporados à estrutura já existente. Além disso, a própria condição física do prédio da faculdade já dá mostras de envelhecimento natural ou associado ao excesso de utilização, o que demanda maiores investimentos em manutenção. A ampliação deste espaço, para acomodar o crescimento e o aumento de complexidade de equipamentos e de metodologias, talvez seja o maior desafio, acoplado à manutenção do alto nível do corpo docente e de pessoal auxiliar.

Acrescente-se a isto o fato de que a FOP irá adotar, a partir de 2012, um novo esquema curricular, que inclui mais uma turma de graduação para ajustar sua carga horária didática, reconhecidamente muito intensiva e para atender às recomendações do MEC, passando o curso de 4 para 5 anos. Isso representa mais 80 alunos que terão de ser acomodados em salas de aula, laboratórios, além de clínicas devidamente atualizadas e ampliadas. Um desafio adicional será ampliar o processo de internacionalização da Faculdade, atualmente mais centrado na Pós-Graduação e com países de América Latina, levando para o curso de Graduação e envolvendo países da Ásia e do bloco desenvolvido.

Também está entre as prioridades a maior interação com outras unidades da própria Unicamp, o que poderá enriquecer o potencial de docentes e alunos da FOP. Apesar de complexos, esses desafios serão encarados com muita dedicação, trabalho e criatividade para que se possa chegar ao final desta década em condições de equilíbrio com instituições congêneres da América do Norte e da Europa.

O professor Jacks Jorge Júnior é diretor da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP-Unicamp)

Fonte: Jacks Jorge Júnior, Jornal do Unicamp – ANO XXIV – Nº 475

 
Edições Anteriores

23/3/2011 - Doações de planos de saúde cresceram 760% em relação a 2002

3/11/2010 - Periodontite pode afetar sistema cardiovascular, demonstra estudo

2/6/2010 - Anvisa: estratégias para segurança do paciente em hospitais e clínicas

3/3/2010 - Planos odontológicos, nem sempre a melhor opção

16/12/2009 - Curso profissionalizante na área odontológica é porta de entrada para o mercado de trabalho

7/10/2009 - Publicar e compartilhar

1/7/2009 - Nanobiotecnologia a serviço da saúde

29/10/2008 - Dentifrícios: de cosméticos a agentes preventivos

30/7/2008 - O brasileiro e as doenças crônicas não-transmissíveis

5/3/2008 - Mais do que um Ortodontista

5/9/2007 - Um novo olhar da Odontologia

16/5/2007 - Neoplasias malignas tratadas no consultório

21/3/2007 - Um projeto para fazer o Brasil sorrir

13/12/2006 - As doenças do trabalho no meio odontológico

8/11/2006 - O uso de mini-implantes na Ortodontia

20/9/2006 - Hipersensibilidade dentinária

20/7/2006 - Fim das cáries?

26/4/2006 - Doação de sorrisos

8/3/2006 - Odontologia em Brasília
 
 
voltar  
 
@wwow.com.br
Copyright© 2005-2008
Todos os direitos reservados à Eyeshot

O que é isso?