Portal Open
Doutor W
 
  » Revista > Artigos    
  Untitled Document
Untitled Document
 
31/7/2014
 
Matéria

- Ortodontia e Ortopedia Dento-Facial
Ortodontia Lingual

teste

Aparelhos “invisíveis” podem ajudar adultos a manter a aparência em tratamento ortodôntico.

Um dos grandes problemas enfrentados pela Ortodontia é convencer seus pacientes adultos a usarem aparelho fixo. Muitos deles, mesmo apresentando problemas or-todônticos, rejeitam o uso de aparelho por causa da aparência. Isso porque o aparelho ortodôntico está muito associado aos adolescentes e faz com que as pessoas não reajam bem ao uso do aparelho, com medo de parecerem adolescentes e, por isso, não serem respeitadas.

Para essas pessoas, existem métodos alternativos de fazer o tratamento dos dentes, entre eles está a Ortodontia Lingual. Esse ramo da Ortodontia consiste em colar os bráquetes na face lingual dos dentes. Dessa maneira, o aparelho fica quase imperceptível.

Como surgiu

A Ortodontia Lingual surgiu nos Estados Unidos na década de 1970, quando o Dr Craven Kurz, um dentista de Los Angeles, precisou criar um método mais discreto de fazer o tratamento ortodôntico em uma de suas pacientes, que era “coelhinha” da revista Playboy. A modelo precisava manter a sua imagem e não poderia aparecer com um sorriso metálico. Para solucionar o problema, o Dr, Kurz teve a idéia de colar os bráquetes na face lingual, do dente, fazendo com que ela não abrisse mão do tratamento utilizando um aparelho praticamente “invisível”.

Desde seu surgimento, a Ortodontia Lingual tem evoluído. No começo, ela teve pouca aceitação e chegou a apresentar problemas. Como os ortodontistas aplicavam a técnica sem nenhum treinamento técnico-científico específico, ela era pouco eficaz quando comparada aos aparelhos tradicionais; isso colaborou para que a nova técnica caísse em desuso.

A técnica voltou a ser estudada mais a fundo na década de 1980. No final desta década, a Ortodontia Lingual já apresentava base científica e várias associações foram criadas, entre elas a Associação Americana de Ortodontia Lingual (ALOA), Associação Européia de Ortodontia Lingual (ESLO) e a World Society of Lingual Orthodontics (WSLO). No Brasil, a Ortodontia Lingual começou a ser aplicada em meados da década de 1980 e no início do ano 2000 foi fundada a Associação Brasileira de Ortodontia Lingual.

A Ortodontia Lingual continuou se aperfeiçoando. A técnica atualmente utilizada foi desenvolvida por técnicos da NASA, e já existem inclusive bráquetes menores e arredondados, para facilitar a adaptação do paciente e aumentar o conforto.

Vantagens

A Ortodontia Lingual funciona como a Ortodontia tradicional: ela utiliza bráquetes, arcos, elásticos e molas. A grande diferença está no fato da colagem ser feita na face lingual, que é um pouco mais complicada. O ortodontista precisa fazer um treinamento antes de começar a aplicar a técnica em seus consultórios.

As pessoas que mais procuram o aparelho lingual para resolver seus problemas ortodônticos são profissionais que precisam manter a aparência como executivos, modelos e atrizes. Ele também é uma boa opção para atletas, que correm sério risco de machucar bochechas e lábios quando utilizam o aparelho convencional durante suas atividades. Com os bráquetes colados no lado de dentro do dente, essas lesões causadas por impacto diminuem muito.

Entre outras vantagens que a Ortodontia Lingual pode trazer podemos citar o fim do aumento de volume na região dos lábios – muito freqüente quando se usa o aparelho convencional – e o fim da preocupação estética com resíduos colados nos bráquetes após as refeições. 

Desvantagens 

A Ortodontia Lingual ainda apresenta certa resistência entre especialistas. Alguns ortodontistas acham que o aparelho convencional é mais eficaz. O aparelho lingual proporcionaria um resultado mais estético, mas deixa a desejar em questões como o ajuste da mastigação, já que o alimento fica mais tempo em contato com os bráquetes.

O aparelho lingual também exige um período de adaptação. É muito comum que o paciente apresente ferimentos na língua nas primeiras semanas, bem como dificuldade para deglutir e falar. Alguns fonemas podem ficar comprometidos no início, os “s” e algumas palavras sibilares sofrem distorção.

O processo costuma ser mais doloroso na arcada inferior, devido ao maior contato da língua com os bráquetes. Para evitar os ferimentos na língua, que causam os problemas na deglutição e na fala, alguns pacientes optam pelo aparelho lingual somente na arcada superior – onde ele é mais confortável – e deixar a arcada inferior com o aparelho convencional.

Outra dificuldade que o aparelho lingual apresenta é com relação à higienização. Embora ela seja facilitada – já que a região onde estão os bráquetes apresenta maior quantidade de saliva e a língua promove uma certa auto-limpeza – é complicado verificar se a escovação foi feita corretamente ou não. É necessário o uso de um espelhinho bucal para enxergar a limpeza. A dificuldade na higienização é um dos fatores que faz a Ortodontia Lingual ser mais procurada por adultos, e ser contra-indicada para crianças.

Preço salgado

Para produzir um aparelho lingual, o ortodontista precisa tirar as medidas do paciente e mandar para um laboratório especializado. O laboratório produzirá uma moldeira com os bráquetes. Na hora da colagem dos bráquetes no paciente o ortodontista transfere os bráquetes da moldeira para a face lingual do dente do paciente. Infelizmente, são poucos os laboratórios que fazem esse tipo de trabalho aqui no Brasil.

O aparelho lingual também pede o uso de arcos diferenciados para a sua confecção. Isso – somado ao fato dos bráquetes serem feitos em laboratório - faz com que o aparelho lingual apresente um preço mais elevado, o que pode ser considerada a maior desvantagem em relação ao aparelho convencional. O preço do aparelho lingual pode chegar a seis vezes o preço de um aparelho convencional.

Mesmo com o preço mais “salgado”, muitas pessoas procuram a Ortodontia Lingual. A vantagem estética de não ter o sorriso metálico – principalmente para os profissionais que dependem da aparência – acaba compensando o alto preço. Mas ainda é um ramo que deve crescer bastante e, com isso, o preço pode abaixar.

Existem cursos e palestras sobre Ortodontia Lingual para quem está interessado em sempre se manter informado e atualizado. Confira esses dois links:

• Curso - Instituto da Face Campinas
• Palestra - 15º Congresso Brasileiro de Ortodontia

Aparelhos “invisíveis” podem ajudar adultos a manter a aparência em tratamento ortodôntico.

Um dos grandes problemas enfrentados pela Ortodontia é convencer seus pacientes adultos a usarem aparelho fixo. Muitos deles, mesmo apresentando problemas or-todônticos, rejeitam o uso de aparelho por causa da aparência. Isso porque o aparelho ortodôntico está muito associado aos adolescentes e faz com que as pessoas não reajam bem ao uso do aparelho, com medo de parecerem adolescentes e, por isso, não serem respeitadas.

Para essas pessoas, existem métodos alternativos de fazer o tratamento dos dentes, entre eles está a Ortodontia Lingual. Esse ramo da Ortodontia consiste em colar os bráquetes na face lingual dos dentes. Dessa maneira, o aparelho fica quase imperceptível.

Como surgiu

A Ortodontia Lingual surgiu nos Estados Unidos na década de 1970, quando o Dr Craven Kurz, um dentista de Los Angeles, precisou criar um método mais discreto de fazer o tratamento ortodôntico em uma de suas pacientes, que era “coelhinha” da revista Playboy. A modelo precisava manter a sua imagem e não poderia aparecer com um sorriso metálico. Para solucionar o problema, o Dr, Kurz teve a idéia de colar os bráquetes na face lingual, do dente, fazendo com que ela não abrisse mão do tratamento utilizando um aparelho praticamente “invisível”.

Desde seu surgimento, a Ortodontia Lingual tem evoluído. No começo, ela teve pouca aceitação e chegou a apresentar problemas. Como os ortodontistas aplicavam a técnica sem nenhum treinamento técnico-científico específico, ela era pouco eficaz quando comparada aos aparelhos tradicionais; isso colaborou para que a nova técnica caísse em desuso.

A técnica voltou a ser estudada mais a fundo na década de 1980. No final desta década, a Ortodontia Lingual já apresentava base científica e várias associações foram criadas, entre elas a Associação Americana de Ortodontia Lingual (ALOA), Associação Européia de Ortodontia Lingual (ESLO) e a World Society of Lingual Orthodontics (WSLO). No Brasil, a Ortodontia Lingual começou a ser aplicada em meados da década de 1980 e no início do ano 2000 foi fundada a Associação Brasileira de Ortodontia Lingual.

A Ortodontia Lingual continuou se aperfeiçoando. A técnica atualmente utilizada foi desenvolvida por técnicos da NASA, e já existem inclusive bráquetes menores e arredondados, para facilitar a adaptação do paciente e aumentar o conforto.

Vantagens

A Ortodontia Lingual funciona como a Ortodontia tradicional: ela utiliza bráquetes, arcos, elásticos e molas. A grande diferença está no fato da colagem ser feita na face lingual, que é um pouco mais complicada. O ortodontista precisa fazer um treinamento antes de começar a aplicar a técnica em seus consultórios.

As pessoas que mais procuram o aparelho lingual para resolver seus problemas ortodônticos são profissionais que precisam manter a aparência como executivos, modelos e atrizes. Ele também é uma boa opção para atletas, que correm sério risco de machucar bochechas e lábios quando utilizam o aparelho convencional durante suas atividades. Com os bráquetes colados no lado de dentro do dente, essas lesões causadas por impacto diminuem muito.

Entre outras vantagens que a Ortodontia Lingual pode trazer podemos citar o fim do aumento de volume na região dos lábios – muito freqüente quando se usa o aparelho convencional – e o fim da preocupação estética com resíduos colados nos bráquetes após as refeições. 

Desvantagens 

A Ortodontia Lingual ainda apresenta certa resistência entre especialistas. Alguns ortodontistas acham que o aparelho convencional é mais eficaz. O aparelho lingual proporcionaria um resultado mais estético, mas deixa a desejar em questões como o ajuste da mastigação, já que o alimento fica mais tempo em contato com os bráquetes.

O aparelho lingual também exige um período de adaptação. É muito comum que o paciente apresente ferimentos na língua nas primeiras semanas, bem como dificuldade para deglutir e falar. Alguns fonemas podem ficar comprometidos no início, os “s” e algumas palavras sibilares sofrem distorção.

O processo costuma ser mais doloroso na arcada inferior, devido ao maior contato da língua com os bráquetes. Para evitar os ferimentos na língua, que causam os problemas na deglutição e na fala, alguns pacientes optam pelo aparelho lingual somente na arcada superior – onde ele é mais confortável – e deixar a arcada inferior com o aparelho convencional.

Outra dificuldade que o aparelho lingual apresenta é com relação à higienização. Embora ela seja facilitada – já que a região onde estão os bráquetes apresenta maior quantidade de saliva e a língua promove uma certa auto-limpeza – é complicado verificar se a escovação foi feita corretamente ou não. É necessário o uso de um espelhinho bucal para enxergar a limpeza. A dificuldade na higienização é um dos fatores que faz a Ortodontia Lingual ser mais procurada por adultos, e ser contra-indicada para crianças.

Preço salgado

Para produzir um aparelho lingual, o ortodontista precisa tirar as medidas do paciente e mandar para um laboratório especializado. O laboratório produzirá uma moldeira com os bráquetes. Na hora da colagem dos bráquetes no paciente o ortodontista transfere os bráquetes da moldeira para a face lingual do dente do paciente. Infelizmente, são poucos os laboratórios que fazem esse tipo de trabalho aqui no Brasil.

O aparelho lingual também pede o uso de arcos diferenciados para a sua confecção. Isso – somado ao fato dos bráquetes serem feitos em laboratório - faz com que o aparelho lingual apresente um preço mais elevado, o que pode ser considerada a maior desvantagem em relação ao aparelho convencional. O preço do aparelho lingual pode chegar a seis vezes o preço de um aparelho convencional.

Mesmo com o preço mais “salgado”, muitas pessoas procuram a Ortodontia Lingual. A vantagem estética de não ter o sorriso metálico – principalmente para os profissionais que dependem da aparência – acaba compensando o alto preço. Mas ainda é um ramo que deve crescer bastante e, com isso, o preço pode abaixar.

Existem cursos e palestras sobre Ortodontia Lingual para quem está interessado em sempre se manter informado e atualizado. Confira esses dois links:

• Curso - Instituto da Face Campinas
• Palestra - 15º Congresso Brasileiro de Ortodontia

Enviar para um amigo Comentar Imprimir Comunicar Erros
 

»Investimento
De acordo com levan-tamento da FMUSP, doações de planos de saúde cresceram 760% em relação a 2002.

»Investigando
Pesquisa de dentista feita com múmias pe-ruanas pode enriquecer investigações na área de ciência forense.
Confira
 
 
voltar  
 
@wwow.com.br
Copyright© 2005-2008
Todos os direitos reservados à Eyeshot

O que é isso?